Wenger, Terry Neill e a sensação de um Arsenal perdido

By Alcysio | agosto 23, 2017

O Arsenal começou a vender os jogadores que ele não deseja mais, mas segue sem conseguir vender os que teriam algum valor relevante de mercado.

Despachar Jenkinson, Mourgos e Bennacer sem arrecadar um centavo é fácil, difícil é aceitar e viabilizar as saídas de Gibbs, Debuchy e Lucas. Aliás, espanta a tentativa de vender Mustafi tão perto do fim da janela. Temos um Koscielny chegando ao fim de seus melhores anos, Mertesacker pra aposentar, um técnico que não confia 100% em Holding ou em Chambers e um saldão na zaga.

É complicado entender a lógica por trás disso, além de ser um expurgo de jogadores analisados pela StatsDNA, braço de estatístiscas do clube. Wenger, ao ganhar no grito mais um contrato, paradoxalmente nunca esteve tão forte nas suas convicções e ele parece estar as aplicando ao elenco.

Gastamos apenas £26mi nessa janela e me parece que essa constrição de gastos está fortemente ligada à lógica de ver as saídas grátis de Ox, Alexis e Özil no próximo verão como transferências e estamos considerando o valor de mercado deles nos “gastos”. Aliás, não deve demorar para esse argumento aparecer numa coletiva.

Essa agressividade em manter seus jogadores mais importantes não condiz com as decisões emocionais em relação a Ox e Wilshere, que claramente não tem mais futuro no clube mas acabam se mantendo porque o técnico pensa mais nos sentimentos dos jogadores do que no melhor interesse do grupo. Levantar £50mi com os dois poderia financiar alguém mais útil, como um volante que realmente complemente Xhaka ou Ramsey.

Sexta falamos da Europa League e do jogo contra o Liverpool.

 

 

 

Arsenal Brasil

127

sócios ativos

120 

 200

 
 

Neste momento a premiação
do bolão é:

1º lugar ganha: 1 passagem pra Londres, seguro viagem, 2 ingressos e Oyster card semanal
2º lugar ganha: 1 camisa home ou uma camisa away
3º lugar ganha: 1 ano de AB plano Prata
 

 

 

 

Ad 300x150

 

Ad 300x150

 

Ad 300x150

 

Ad 300x150